Tendências em infraestrutura e operações em 2022

https://network-king.net/wp-content/uploads/2021/12/shutterstock_609649727-769x414.jpg

A pandemia Covid-19 mostrou que os profissionais de infraestrutura e operações (I&O) podem atender às necessidades de negócios em constante mudança, mas o futuro será ainda mais dinâmico à medida que os negócios se movem rapidamente para explorar novas oportunidades.

Espera-se que os líderes de infraestrutura e operações (I&O) consigam fornecer serviços mais adaptáveis ​​e resilientes de qualquer lugar – e para uma força de trabalho cada vez mais distribuída. 

“As lideranças de I&O precisam impulsionar a mudança, não simplesmente absorvê-la”, disse Jeffrey Hewitt , vice-presidente de pesquisa do Gartner, ao apresentar as principais tendências que impactarão a área em 2022. São elas:

1 – Infraestrutura just-in-time

A velocidade com que a infraestrutura pode ser implantada está se tornando tão importante quanto colocar a infraestrutura certa no lugar certo – colocation, data center, edge, etc. Essa é a ideia por trás da infraestrutura just-in-time.

Emprestado do termo “fabricação just-in-time”, essa tendência visa reduzir os tempos de implantação de infraestrutura, bem como estimular a capacidade de resposta da empresa às necessidades de negócios e operações em qualquer lugar. 

O futuro não é sobre o data center, ou a nuvem, ou edge – é sobre a criação de um ambiente que permitirá à TI implantar aplicativos de negócios e cargas de trabalho em qualquer lugar, a qualquer hora, a qualquer momento.

2 – Nativos digitais

Empresas nativas digitais são aquelas que tornaram a nuvem pública e outros recursos digitais parte de seu modelo de negócios desde o início, como aplicativos de compartilhamento de caronas ou serviços de entrega digital de alimentos. Eles combinam diferentes abordagens de receita para monetizar ativos digitais para ganhar novos clientes e aumentar a participação no mercado e só se tornaram mais comuns desde o início da pandemia.

“Há uma oportunidade para as organizações tradicionais de I&O alavancarem suas contrapartes nativas digitais que prosperaram durante a pandemia para também produzirem ofertas altamente ágeis, inovadoras e competitivas ou se juntarem àquelas que podem”, disse Hewitt. “Os líderes de I&O enfrentam o dilema de ‘participar ou competir’.”

3 – Management Confluence

Essa tendência reflete a necessidade de que o número crescente de ferramentas de gerenciamento e monitoramento – de gerenciamento de serviços de TI (ITSM) a operações de inteligência artificial (AIOps) – sejam reunidas em uma ferramenta única e abrangente. Tal integração é imprescindível na adoção de composable technologies, um dos três domínios da business composability, que permite que componentes de sistemas e dados se combinem de forma mais rápida e fácil.

Segundo a 2022 Gartner CIO and Technology Executive Survey, 58% das empresas high-composability desenvolvem recursos de integração para dados, análises e aplicativos. Essas organizações relataram melhor desempenho de negócios em comparação com seus pares ou concorrentes no ano passado.

“Os líderes de I&O podem estender a capacidade de composição em toda a pilha de tecnologia ao inventariar o uso de sua ferramenta de gerenciamento atual e identificar aquelas que podem ser combinadas para formar um portfólio mais valioso e abrangente que melhora a agilidade de I&O e impulsiona os melhores resultados de negócios”, disse Hewitt.

4 – Proliferação de dados

Os dados continuarão a se multiplicar em variedade, velocidade e volume. À medida que as empresas continuam a expandir seus esforços de coleta e retenção de dados, a I&O será fundamental para orientar as políticas em torno do processamento, retenção e requisitos legais dos dados da empresa.

“As forças de trabalho de I&O precisam trabalhar em estreita colaboração com seu diretor de dados para expandir a alfabetização em dados e oferecer suporte eficaz ao gerenciamento de dados em toda a empresa”, disse Hewitt.

Fonte: Gartner

5 – Business Acumen

Os líderes de I&O estão orientando suas funções por meio de um ambiente de tecnologia distribuído e em rápida mudança, que além de ameaçado pela lacuna de talentos de TI, tem exigido novas habilidades. De acordo com uma pesquisa recente do Gartner, 64% dos líderes de I&O apontam a insuficiência de habilidades e recursos como um de seus maiores desafios no ano passado.

“A vida útil das habilidades técnicas está diminuindo”, disse Hewitt. “Como a função de I&O é solicitada a fornecer mais justificativas de negócios para o que fazem, os CIOs estão procurando por profissionais de I&O com experiência em negócios, em vez de diplomas estritamente técnicos.”

O Gartner espera que, até 2025, os CIOs consigam preencher 65% dos cargos de liderança de I&O abertos com pessoas que não têm experiência em I&O.

6 – De Career Ladders para Career Lattices

Semelhante à tendência de visão de negócios, I&O está se afastando de caminhos de carreira de domínio único impulsionados por cargas de trabalho e habilidades técnicas legadas. Praticamente 29% das habilidades em um anúncio médio de emprego de I&O em 2018 não serão necessárias até 2022, de acordo com dados do Gartner Talent Neuron.

Em vez disso, as equipes de I&O estão se movendo lateralmente em uma estrutura baseada em competências que considera soft skills e enfatiza tanto a agilidade de aprendizado quanto a experiência em vários domínios.

“Embora isso certamente exija um ajuste de mentalidade para alguns dos trabalhadores de I&O mais experientes, haverá muito mais oportunidades nas equipes de I&O à medida que se afastam do pensamento territorial e se encaminham para a promoção de um ambiente colaborativo”, disse Hewitt.

De acordo com o Gartner, remodelar e transformar a infraestrutura e as operações (I&O) requer uma força de trabalho resiliente e pronta para mudanças.

Principais vantagens, segundo o Gartner:

  • “Os programas de diversidade, equidade e inclusão (DEI) podem ajudar os líderes de I&O a enfrentar seus desafios mais importantes: escassez de talentos, gargalos de inovação e resistência à mudança.”
  • “Os líderes de I&O trabalham em uma monocultura frágil. Isso precisa mudar para que os líderes de I&O se adaptem a condições imprevisíveis e mutáveis.”
  • “Para ter sucesso na DEI, você precisa adotar três princípios. Ser curioso. Seja colaborativo. Seja corajoso.”
  • “A diversidade é fruto da inclusão e da equidade. Para tornar sua equipe mais diversificada, você precisa torná-la mais inclusiva. Para atrair e reter talentos não tradicionais, você deve ter equidade e inclusão.”
  • A pesquisa do Gartner mostra que a mudança cultural é o principal desafio para 33% dos líderes de I&O.
  • “Como mudar a cultura de I&O é algo que o mantém acordado à noite, você precisa pensar e agir de maneira diferente. Facilite a segurança psicológica e, para entender a segurança psicológica, você precisa entender o DevOps ágil.”
  • “Estabeleça metas para reconhecer os membros da sua equipe. Aprenda como cada funcionário gosta de ser reconhecido e entender melhor sua equipe.”
FacebookTwitterLinkedIn