Robô reproduz sensações táteis para ajudar enfermeiros

Photo: Olli-Pekka Orpo
Sheila Zabeu -

Julho 31, 2023

Um robô com recursos para simular sensações táteis está sendo testado em um projeto-piloto de um hospital finlandês. O objeto é verificar como a tecnologia pode ajudar a reduzir a carga de trabalho dos enfermeiros.

Desenvolvido pela startup escocesa Touchlabs, o robô foi batizado de Välkky e usa uma tecnologia de pele eletrônica que permite a transmissão de sensações táteis, como pressão e vibração. O robô pode realizar tarefas simples de enfermagem, como servir refeições, ajudar na movimentação e apagar as luzes, por exemplo. Também pode medir sinais vitais, como pulsação, temperatura e saturação de oxigênio dos pacientes. Está sendo testado em uma das enfermarias no Hospital Laakso, na cidade de Helsinki, na Finlândia, por cerca dois meses. Os pacientes da enfermaria foram informados sobre o teste.

“O robô está sendo testado atualmente para vermos do que ele é capaz. Tudo é feito de acordo com os pacientes e garantindo que eles estão recebendo o apoio e os cuidados de que precisam”, afirma Kirsi Ahonen, enfermeira-chefe e gerente de projeto no Hospital Laakso. Segundo seus criadores, o robô tem muitos recursos que garantem o uso seguro no ambiente hospitalar. Entre outras coisas, sente o toque e a força em seus braços, por isso evita que o paciente seja empurrado. Também tem visão de 360 graus.

Doze enfermeiras foram treinadas para controlar o robô. Na prática, ele é controlado por meio de luvas táteis, um traje de controle ou uma cadeira de controle. “Controlado por um profissional de saúde, o robô auxilia o trabalho da equipe médica. Não é de forma alguma um substituto para os profissionais. A situação de pessoal na área da saúde é desafiadora, e essa é uma forma de avaliar se a robótica pode ajudar na realização de tarefas que não exijam treinamento na área”, afirma a enfermeira-chefe do hospital.

Para descontrair, os funcionários puderam votar em um nome para o novo colega robótico com base nas propostas dos residentes. “O nome Välkky foi escolhido porque descreve o fato de sermos agora os primeiros no mundo a testar um tipo completamente novo de robótica em um ambiente hospitalar”, explica Ahonen.

O robô usa uma rede sem fio e reproduz em tempo real os movimentos do corpo, mãos e cabeça da enfermeira que o controla. Sua pele eletrônica permite que a sensação seja transmitida para a ponta dos dedos, palmas das mãos e, se necessário, para todo o corpo da enfermeira. O robô tem aproximadamente o tamanho médio de uma pessoa.

“Com a ajuda da pele eletrônica, o robô é capaz de fazer movimentos até sutis. Välkky é um robô único que só pode ser comparado aos modelos cirúrgicos, que também podem ser controlados remotamente, mas não têm sensação de toque”, diz Zakareya Hussein, CEO e fundador da Touchlab Limited.

Futuramente, o robô poderá no tratamento de pacientes em isolamento, por exemplo. Também ajudará a reduzir o desgaste físico dos enfermeiros.

Mercado de robótica médica e startups

A indústria de robótica médica esteve vulnerável em 2022 devido a cenários econômicos adversos. No entanto, como a demanda ainda é muito alta, o negócio de robótica deve continuar crescendo, segundo a GlobalData, atingindo US$ 15,8 bilhões até 2030.

O setor de saúde deverá investir cada vez mais em robôs médicos para compensar a escassez de profissionais e melhorar o padrão de atendimento. O uso da computação em nuvem e da Inteligência Artificial vai ajudar os robôs a acessar grandes volumes de dados, gerar melhores resultados e reduzir as taxas de erro humano. Além disso, novos modelos de robôs cirúrgicos devem abrir mais possibilidades de aplicação em tratamentos mais complexos.

Para atender a esse demanda, startups estão atuando forte no segmento de robótica em saúde e também recebendo apoio de programas catalisadores. Um deles está com as inscrições abertas para sua terceira edição. O Healthcare Robotics Startup Catalyst, promovido por MassRobotics, Festo, Mitsubishi Electric, Novanta e MITRE, oferece às startups a oportunidade de apresentar soluções inovadoras de robótica médica e concorrer pela chance de ingressar em um programa acelerador de negócios.

As startups selecionadas serão orientadas por mentores das empresas organizadoras e apoiadas para se relacionar com potenciais clientes, investidores, fornecedores, equipes de marketing. Terão apoio do Grupo de Trabalho da MassRobotics, composto por um grupo de voluntários das áreas empresarial, acadêmica, governamental e de capital de risco. Também terão acesso a empréstimos, recursos de prototipagem e teste, além de apoio de mídia e marketing, bem como possível participação em feiras com organizações mentoras.

O programa está aberto a startups em estágio inicial com foco em robótica, mas também em Inteligência Artificial ou Internet das Coisas Médicas (IoMT).

A MassRobotics é um centro de inovação em robótica sem fins lucrativos cuja missão é ajudar a criar e impulsionar empresas de tecnologia robótica e dispositivos conectados, abrindo espaço para empreendedores e startups inovadores que buscam desenvolver, prototipar, testar e comercializar produtos e soluções. Embora esteja sediada em Boston, a MassRobotics apoia a inovação robótica em nível mundial, trabalhando com startups, universidades, setor empresarial e governos, tanto nacional quanto internacionalmente.