Projeto-piloto quer acelerar digitalização da agricultura na Europa

https://network-king.net/wp-content/uploads/2022/03/shutterstock_657671638-769x414.jpg

Um projeto-piloto conduzido pela Vodafone Business pretende acelerar a digitalização da agricultura na Europa. Chamado MyFarmWeb, o serviço fornece a agricultores em fazendas na Alemanha, Irlanda, Itália e Espanha um aplicativo móvel com conexão a uma plataforma na nuvem onde podem ser armazenados e visualizados dados coletados por sensores IoT e outras fontes no campo.

Os dados coletados ajudam na tomada de decisões relacionadas ao tratamento do solo e das culturas, ao uso eficaz da água e à aplicação precisa de fertilizantes e pesticidas. Tudo isso contribui para elevar a produtividade agrícola e otimizar as práticas agrícolas e, consequentemente, reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

“O MyFarmWeb é um ótimo exemplo de como as tecnologias digitais e o amplo acesso a dados podem ajudar os negócios agrícolas a se tornarem mais eficientes e ecológicos. Juntos, podemos acelerar os esforços da União Europeia para tornar o setor agrícola mais resiliente e, por meio do uso de ferramentas digitais, garantir que a sustentabilidade não prejudique a lucratividade”, afirma Vinod Kumar, CEO da Vodafone Business.

 O MyFarmWeb, já está sendo utilizada por 7.200 agricultores nos Estados Unidos, África do Sul, Austrália e Nova Zelândia, faz parte do Green Deal do pacto europeu que visa transformar a União Europeia em uma economia moderna, competitiva e eficiente em termos de recursos naturais, garantindo zero emissão líquida de gases de efeito estufa até 2050, entre outros objetivos.

Mercado de IoT para agricultura

De acordo com um novo relatório da Meticulous Research, espera-se que o mercado de IoT agrícola cresça a uma taxa composta de crescimento anual de 10,8% entre 2021 a 2028, somando US$ 22,6 bilhões ao final do período.

O segmento de hardware foi responsável pela maior fatia do mercado de IoT agrícola em 2021. Essa participação foi atribuída à rápida automação dos processos agrícolas, à redução nos preços dos sensores e à alta adoção de hardware para monitoramento de gado, sistemas de controle, dispositivos de otimização de alimentação e equipamentos para estufas inteligentes.

No entanto, espera-se que o segmento de conectividade e serviços tenha a taxa composta de crescimento anual mais alta durante o período de previsão. O crescimento desse setor será impulsionado pela necessidade de garantir altos padrões de escalabilidade, disponibilidade 24×7, integração e suporte de software e de fazer a identificação proativa de potenciais riscos com o objetivo de evitar falhas dos sistemas IoT.

Na área de aplicações, quem comandou foram as atividades de agricultura de precisão, que responderam pela maior fatia do mercado de IoT para agricultura em 2021. A participação de mercado também foi atribuída à crescente demanda por automação de processos agrícolas, à alta adoção de hardware de monitoramento de gado e sistemas de controle, mas também às extensas iniciativas governamentais para incorporação de técnicas agrícolas de agricultura de precisão e à adoção de práticas modernas para elevar a produtividade.

Agricultura de precisão

Agricultura de precisão é uma importante aplicação da Internet das Coisas, pois pode contribuir para superar os desafios da segurança alimentar que o mundo vive atualmente. Ao ajudar a monitorar condições naturais do clima e do solo, por exemplo, ajuda agricultores a reagir a elas o mais rápido possível, abrindo caminho para incrementar e eficiência e a produtividade dos cultivos. Antes da IoT, as previsões e as ações eram menos precisas, mas hoje, graças à disponibilidade de dados em tempo real, a precisão pode fazer parte do dia a dias das fazendas de vários portes.

Com soluções IoT e outras tecnologias, a agricultura pode se tornar mais escalável, sustentável e precisa. De que maneira? Há algumas iniciativas que podem ser adotadas:

1. IoT e sensores em campo: Contando com sensores, a IoT pode simplificar e agilizar a coleta, a inspeção e distribuição de recursos agrícolas. Combinados com tecnologia de reconhecimento de imagens, agricultores são capazes de monitorar plantações de qualquer local, e dados coletados em tempo real pelos sensores permitem fazer ajustes sempre que necessários para buscar elevar a produção de alimentos com menos desperdício.

2. IoT e sensores em equipamentos: Da mesma forma, sensores em equipamentos agrícolas podem facilitar a manutenção e, principalmente, ao contar com sistemas GPS, podem identificar e corrigir irregularidades nos terrenos e já mapear e documentar dados sobre colheitas.

3. Drones e monitoramento de colheitas: Para combater a seca e outros fatores ambientais, drones podem ser usados para fazer o monitoramento para, por exemplo, supervisionar níveis de água, a saúde das culturas e outras propriedades relevantes para fazer previsões e prevenir doenças.

4. Monitoramento de gado: Drones também podem ser usados para monitorar gado em pastagens, localizar animais perdidos, feridos ou doentes e calcular o número exato de cabeças usando, por exemplo, tecnologia de sensores térmicos. Tudo isso, sem causar estresse aos animais.

5. Robótica: Robôs e inteligência artificial podem ajudar a melhorar a produtividade e os rendimentos de forma mais acelerada, por exemplo, reduzindo o uso de agroquímicos e aprimorando os processos de pulverização e capina. Outras aplicações incluem a utilização de laser e câmeras para identificar e remor ervas daninhas em plantações sem intervenção humana.

6. Sensores RFID e rastreamento: Esses sensores podem ser usados para rastrear produtos agrícolas da fazenda de origem até o ponto em que é comprado. Isso ajuda a garantir mais transparência, responsabilidade e confiança por toda a cadeia de valor.

7. Agricultura inteligente: Com o crescimento da população mundial, é fundamental garantir segurança alimentar. Sensores IoT usados em processos agrícolas inteligentes podem ajudar a monitorar a produtividade das plantações e aprimorar processos em geral, contribuindo para assegurar alimentos para todos.

FacebookTwitterLinkedIn