Principais tendências do monitoramento de TI em 2022

https://network-king.net/wp-content/uploads/2022/01/shutterstock_1945062826-769x414.jpg

Em 2022, o principal foco do monitoramento de TI será o valor do negócio, por meio do fornecimento de informações contextualizadas aos líderes de infraestrutura e operações (I&O) que ajudem a criar melhores aplicativos de negócios, otimizar iniciativas de inovação e fortalecer a experiência do cliente.

O monitoramento de TI é uma das muitas plataformas necessárias quando se trata de operar uma infraestrutura de TI grande e complexa que oferece suporte a todos os fluxos de trabalho críticos de negócios. O segredo é aproveitar  os dados para tornar o cenário digital geral mais observável. 

A capacidade de coletar dados de ferramentas de monitoramento adjacentes (plataformas APM, DEM ou NPMD), insights de negócios de bancos de dados, middleware e aplicativos de negócios e informações correlacionadas de repositórios de dados, permite essa cultura de observabilidade de negócios, fornecendo informações contextuais ricas, apoiando as partes interessadas em suas tomadas de decisão.

Visto assim, o monitoramento de TI é, portanto, uma ferramenta que ajuda uma variedade de partes interessadas de TI e de negócios a se manterem cientes da infraestrutura e fluxos de trabalho essenciais, não importa o quão onipresentes sejam. As ferramentas que ajudam a gerenciar o serviço de TI e a experiência do usuário precisam estar igualmente interligadas. As equipes que implementam e usam sistemas de monitoramento de TI precisam de agilidade na implantação e configuração do perímetro da rede. O monitoramento de TI holístico e preciso conta na criação do tipo de ambiente digital seguro e confiável que as empresas precisam para sustentar suas operações. 

Pesquisa global com 600 gerentes de TI e equipes de I&O, conduzida pela empresa independente Vanson Bourne para a Centreon, destaca a importância cada vez maior do monitoramento de TI na estratégia e governança corporativa de TI.  Em particular, revela que apenas 27% das empresas se consideram plenamente satisfeitas com o seu sistema de monitorização, ainda que esteja no centro das suas prioridades, e ainda mais desde o início da pandemia.

Fonte:Vanson Bourne

A pesquisa também mostra uma abordagem diferente entre as organizações norte-americanas e europeias, resultando em diferentes prioridades e práticas.

  • Os europeus estão ligeiramente menos inclinados (46%) do que os norte-americanos (49%) a vislumbrar a extensão do monitoramento para a nuvem e prevêem um aumento maior na participação da nuvem em suas infraestruturas até 2023.

  • A Europa parece estar ficando para trás na América do Norte na adoção de nuvem pública (22% para europeus, 25% para norte-americanos) e edge e IoT (16% vs. 19%), embora a pesquisa aponte para uma tendência geral de alta nos próximos três anos.

  • As variações nas prioridades devem-se provavelmente a um ritmo diferente no desenvolvimento da infraestrutura. Prova disso são as empresas norte-americanas que identificam IoT (60%), edge computing (51%) e big data (48%) entre as tecnologias e tendências que impactarão suas práticas de monitoramento de TI até 2023, enquanto os europeus listam big data (48% ), IoT (47%) e IA/aprendizado de máquina (41%). 

  • Em termos de pessoal, podemos ver que os gerentes de TI da América do Norte estão mais imediatamente cientes da necessidade de abrir novas posições de monitoramento de TI (73%), enquanto seus colegas europeus podem estar ficando para trás (51%).

Para onde os fornecedores estão olhando?

Este ano, os orçamentos destinados ao monitoramento de TI devem aumentar. Tendência que não foi alterada pela pandemia do COVID-19, muito pelo contrário. O mercado de ferramentas de monitoramento de TI deve crescer em US $ 30,10 bilhões durante 2021-2025, progredindo a uma CAGR de 29% durante o período de previsão, segundo o relatório global “IT Monitoring Tools Market”, da MarketWatch.

Outra tendência importante nos próximos anos, como j’falamos,será a passar do monitoramento de KPIs técnicos para os KPIS orientados aos negócio. Para muitas equipes de TI, garantir que elas possam monitorar novos ambientes, bem como compartilhar relatórios sobre KPIs orientados ao negócio, serão uma prioridade.

Os ITOps também estão cientes de que suas práticas de monitoramento precisam evoluir em dois eixos principais: reforçar a produção de KPIs centrados no negócio para que a TI possa estar mais alinhada com as linhas de negócios e integrar a nuvem, edge e IoT nas práticas de monitoramento para fornecer uma visão holística do ambiente de TI, onde quer que esteja. As organizações deverão garantir que seus métodos de monitoramento de TI e suas práticas serão adaptáveis e permitirão que suas equipes tenham visibilidade sobre os níveis de desempenho em toda a infraestrutura de TI.

As estratégias de monitoramento se tornarão mais sofisticadas, segundo a Centreon, e por vários motivos:

  • Integração de ambientes remotos — principalmente devido à persistência do teletrabalho, mas também às ondas de reorganizações, à medida que as empresas se adaptam à normalidade pós-covid.

  • Migração acelerada para nuvem e microsserviços para mais flexibilidade e agilidade na entrega de software, reduzindo os riscos que acompanham as arquiteturas monolíticas.

  • Pressões orçamentárias : além das métricas técnicas e de desempenho, as partes interessadas, e principalmente os responsáveis ​​pelos orçamentos, precisam garantir constantemente que os serviços sejam entregues usando os recursos de forma otimizada. 

  • E a crescente necessidade de comunicar sobre sustentabilidade, incluindo a contribuição da TI na pegada de carbono de uma empresa.

A observabilidade continuará a ser importante. “Passamos muito tempo com a lupa no “trabalho do usuário de qualquer lugar”, e isso voltará um pouco para os locais físicos devido às aberturas de escritórios”, diz Phillip Gervasi, Evangelista Técnico Sênior, Riverbed. À medida que os ambientes de TI se tornam mais híbridos, mais distribuídos e mais complexos, as equipes de TI desenvolverão suas práticas de monitoramento de rede para dar suporte a objetivos de observabilidade mais amplos. Isso requer quebrar os silos tradicionais de TI, capturar a telemetria de total fidelidade de todo o ecossistema digital e transformar grandes quantidades de dados em insights acionáveis ​​que podem ser usados ​​em todos os domínios de TI para acelerar a tomada de decisões e a resolução de problemas.

Embora as equipes de engenharia reconheçam a importância de monitorar o desempenho e identificar anomalias , as experiências digitais atuais são construídas em uma rede de microsserviços que lutam para interagir e se comunicar entre si dentro do cenário de observabilidade. Muitas vezes, uma colcha de retalhos de ferramentas analíticas possibilita que os engenheiros vejam vislumbres limitados de sua pilha de tecnologia, mas não o suficiente para descobrir os motivos pelos quais um erro pode estar ocorrendo – muito menos como corrigi-lo. De acordo com um relatório recente da New Relic, 90% dos líderes e engenheiros de TI afirmam que a observabilidade é fundamental para o sucesso de seus negócios, com 94% afirmando ser fundamental para sua função. 

A oferta de monitoramento como serviço deverá aumentar, com empresas como a Paessler ampliando suas ofertas. “Os ambientes tecnológicos estão sob imensa pressão. Fatores externos estão mudando diariamente, e a infraestrutura de TI, OT e IoT precisa ser tão ágil quanto os funcionários estão sendo quando se trata dos serviços que oferecem. Com o PRTG Hosted Monitor, a Paessler estende a oferta do PRTG com uma versão hospedada e, assim, alivia os administradores do fardo de operar sua solução de monitoramento. “, afirma Helmut Binder, CEO da Paessler.

Os fornecedores de gerenciamento de desempenho de rede (NPM) começarão a evoluir em direção à observabilidade de rede para atender a um setor de TI que está adotando WANs multinuvem, nuvem de borda, trabalho de qualquer lugar e WANs baseadas na Internet. A visibilidade profunda das redes locais tradicionais simplesmente não é suficiente para as equipes de operações de TI modernas. Por meio de desenvolvimento orgânico, e de fusões e aquisições, os fornecedores de NPM adicionarão AIOps, monitoramento de segurança, monitoramento de nuvem e monitoramento de experiência digital aos seus principais recursos de NPM para fornecer visibilidade total das operações digitais. As equipes NetOps estão tentando se alinhar com SecOps e DevOps, e as soluções de observabilidade de rede de seus fornecedores tradicionais de NPM certamente as ajudarão a fazer isso, comenta Shamus McGillicuddy, VP de Pesquisa, Infraestrutura de Rede e Operações da  Enterprise Management Associates.

É impossível pensar nos próximos 12 meses sem falar em inteligência artificial. O desenvolvimento da tecnologia em nuvem fez com que a IA estivesse mais presente hoje do que nunca. Quando se trata de monitoramento de rede, a inteligência artificial pode desempenhar um papel muito importante. A IA coleta grandes quantidades de dados, e a combinação de nuvem com IA e aprendizado de máquina é projetada para analisar esses dados e reconhecer padrões recorrentes. Ele pode, portanto, reconhecer anomalias e melhorar a análise e busca de causas, mas também identificar tendências e possibilitar a manutenção preditiva.

Existem muitas empresas que afirmam ter soluções de IA, mas poucas são as soluções de monitoramento novas e baseadas em nuvem, principalmente no mercado corporativo, verdadeiramente baseadas em inteligência artificial. Eles são dedicados principalmente ao monitoramento de desempenho de aplicativos e segurança e permitem o monitoramento avançado de tráfego, ou seja, são soluções altamente especializadas destinadas a especialistas experientes.

“Os assistentes de IA que podem gerenciar e solucionar problemas de redes em pé de igualdade com especialistas de domínio humano serão promovidos a membros da equipe de TI em 2022. Na empresa, IA, aprendizado de máquina e AIOps têm o potencial de se tornar uma fonte tão confiável quanto o especialista em domínio de TI mais experiente”,comenta Bob Friday, VP e CTO da Juniper Networks AI-Driven Enterprise. “Embora ainda não estejamos lá, no próximo ano podemos esperar que os assistentes de IA e as interfaces de conversação assumam um papel mais sério e confiável na empresa. Atualmente, as interfaces de conversação de IA podem responder até 70% dos tíquetes de suporte com a mesma eficácia de um especialista de domínio. À medida que a complexidade da rede e as cargas de trabalho distribuídas aumentam, os AIOps e os assistentes virtuais de IA serão vistos como membros essenciais das equipes de TI. Além disso, à medida que os serviços em nuvem continuam a ser dimensionados para fornecer processamento e armazenamento ilimitados e econômicos”.

A última tendência que está ganhando força no mercado é o uso crescente de big data para monitoramento e análise de TI. De acordo com o relatório, um dos principais impulsionadores desse mercado é a melhoria da eficiência das operações de TI. 

Todas as empresas de alguma forma já monitoram sua infraestrutura de TI hoje, mas em um futuro próximo será imperativo garantir que as ferramentas de monitoramento “ampliadas” sejam usadas para ajudar as equipes de TI a gerenciar a digitalização e as responsabilidades crescentes. Monitorar em termos de digitalização de TI significa ter uma visão geral dos ambientes de TI com o setor ao qual pertencem, e isso só é possível monitorando ambos com uma única solução.

FacebookTwitterLinkedIn