O que IoT tem a ver com blockchain?

https://network-king.net/wp-content/uploads/2022/02/iot1312894674-769x414.jpg

Com o avanço da Internet das Coisas (IoT), que já está permeando diversos setores de atividade, como manufatura, transporte e varejo, cresce também uma preocupação: como garantir que dispositivos IoT estejam seguros e livres de vulnerabilidades para não se tornarem alvo fácil para cibercriminosos que buscam invadi-los para lançar ataques DDoS. É justamente a segurança um dos principais fatores que têm dificultado a implantação mais ampla de dispositivos IoT em larga escala.

Outro problema com as atuais redes IoT é a escalabilidade. Sistemas centralizados de autenticação e autorização de dispositivos IoT se tornarão um gargalo à medida que mais e mais sensores e equipamento IoT estiverem conectados em rede.

Então por que não dar a esses dispositivos uma identidade que possa ser validada e verificada de modo eficiente ao longo de seu ciclo de vida para evitar crises decorrentes da falta de segurança e escalabilidade?  E quem pode fazer isso? A resposta é: blockchain.

A tecnologia de blockchains pode ser vista com um livro distribuído de registros, compartilhado entre os participantes do ecossistema, que lista transações encadeadas e produze um histórico – cada bloco nesse cadeia está vinculado a todos os anteriores usando criptografia para evitar adulterações; não pode ser alterado nem removido. Aplicando esse conceito à IoT, cada dispositivo pode ter sua própria chave pública (identidade) e seu histórico de atividades registrado e rastreável ao longo da blockchain. Esses dispositivos IoT podem até mesmo desenvolver uma reputação com base nesse histórico.

Por exemplo, uma comunidade no Brooklyn, em Nova York (EUA), está usando blockchain para registrar a produção de energia solar e permitir a compra de créditos de energia em excesso. Os dispositivos IoT possuem suas próprias identidades e constrói suas reputações com base nos históricos de registros e trocas. Tudo de forma confiável. “A blockchain tem os recursos necessários para trazer o elemento de confiança que falta atualmente à IoT por meio da diversidade de usuários”, diz Jerry Cuomo, vice-presidente de tecnologias de blockchain da IBM.

Devido à natureza descentralizada das blockchains, as soluções IoT baseadas na combinação das duas tecnologias também não precisam arcar com custos indiretos que viriam de uma autoridade central de controle e autenticação, caso fosse adotado um outro método de segurança para os dispositivos e redes IoT. Ou seja, nenhuma entidade de controle precisa se responsabliizar por manter a confiança entre as partes envolvidas e segurança do volume de dados gerados. Livros de registros distribuídos e criptografados garantem isso.

Fonte: 101 Blockchains

Possíveis aplicações da dupla IoT-blockchain

A área de agricultura pode usar soluções IoT-blockchain, por exemplo, para rastrear com segurança os impactos do clima e do solo na qualidade e no rendimento das colheitas, mas também para garantir mais transparência ao longo de toda a cadeia de produção e distribuição dos produtos agrícolas. Por exemplo, aplicações IoT-blockchain contribuem para melhorar a rastreabilidade dos produtos alimentícios, das fazendas aos supermercados e residências usando sensores IoT.

Sistemas de gestão da cadeia de suprimentos podem armazenar na blockchain informações vindas de sensores para que partes envolvidas autorizadas as consultem em tempo real e se preparem adequadamente para operações de produção e entrega. Por exemplo, IBM e  Golden State Foods, produtora de itens alimentícios, trabalharam para usar blockchain e IoT juntas na otimização de processos. Usaram identificação por radiofrequência (RFID) para rastrear automaticamente o movimento de carne bovina fresca, dispositivos IoT para monitorar a temperatura e a tecnologia blockchain para orquestrar as regras de negócios entre os elos da cadeia de suprimentos.

Gestão de recursos hídricos é outro campo em que projetos de IoT-blockchain são potencialmente benéficos, principalmente para a redução de desperdício de água em nível mundial. Por exemplo, sensores inteligentes podem rastrear o consumo de água e automatizar o fechamento de registros em caso de vazamentos. Outra aplicação é o combate a contaminação de rios. Um projeto conhecido como ‘Drone on the Volga’ propõe usar drones com sensores IoT e tecnologia blockchain para coletar dados sobre os níveis de contaminação da água.

Na indústria farmacêutica, o uso da dupla IoT- blockchain pode abordar questões críticas como a prevenção contra medicamentos falsificados, garantindo rastreabilidade e transparência desde quando os produtos saem da fábrica até a compra pelo consumidor final.

Sensores IoT em blockchain podem registrar temperatura, localização, horários e status dos contêineres durante o transporte de cargas de forma imutável.

A manutenção de maquinário pode aplicar dispositivos IoT para registrar o status operacional de motores a elevadores. Com isso, equipes de manutenção podem monitorar o blockchain para verificar a necessidade de fazer reparos, sem alterar nenhuma informação prévia, mas podem registrar os trabalhos eventualmente realizados.

Além desses casos de uso,  as tecnologias IoT e blockchain usadas em conjunto podem incentivar iniciativas de economia de compartilhamento de bens e serviços ao permitir transações entre dispositivos IoT. Por exemplo, podem conectar “coisas” inteligentes a blockchains e assim facilitar transações comerciais e pagamentos entre dispositivos, propiciando uma economia de compartilhamento para a Internet das Coisas.

Para conhecer um pouco mais sobre as principais startups que estão investindo na combinação das tecnologias IoT e blockchain para abordar problemas de segurança associados ao ecossistema IoT, clique aqui. Algumas se concentram em melhorar a segurança da IoT, independentemente do setor. Outras têm foco na rastreabilidade e na responsabilidade nas cadeias de suprimentos.

FacebookTwitterLinkedIn