Nestlé Brasil implanta rede 5G privada em fábrica autônoma

https://network-king.net/wp-content/uploads/2022/09/Shutterstock_1314154382-769x414.jpg

Nestlé, Ericsson, Claro e Embratel estão realizando o que afirmam ser a primeira implantação de rede privada 5G Standalone da América Latina, ou seja, que opera completamente separada da rede móvel pública, fortalecendo a segurança do ambiente que usa dados confidenciais.

Esta é também uma novidade mundial para a Nestlé, segundo a fabricante suíça de produtos alimentícios. Um movimento que sinaliza a mudança de uma fábrica automatizada para uma fábrica autônoma, uma das aspirações de Indústria 4.0 da Nestlé. A solução vai permitir o processamento acelerado de dados, com velocidade de transferência 25 vezes maior que a permitida por 4G, além da adoção de aplicações críticas para os negócios que exigem tempos de resposta baixíssimos, na casa dos milissegundos.

Segundo arede 5G fará uma enorme diferença no ambiente industrial da empresa, transformando formas de trabalho e elevando os níveis de produtividade, eficiência e segurança. O projeto utiliza frequências de uso experimental licenciadas pela Claro.

A Nestlé afirma ter adotado diversas tecnologias emergentes nos últimos anos, como robótica, automação, inteligência artificial e aprendizado de máquina, realidade virtual e veículos autônomos. Com a nova rede privada 5G Standalone, esse ecossistema digital se tornará ainda mais confiável e abrangente, possibilitando novos casos de uso inovadores.

“Com esse projeto inédito, que vai expor os benefícios do 5G para a Indústria 4.0, a operação braseira da Nestlé será referência mundial. Vamos otimizar ainda mais nossos processos e assim alcançar importantes índices de produtividade e eficiência. Este é mais um passo na jornada de inovação e transformação digital realizada pela Nestlé no Brasil, especialmente em nossa fábrica em Caçapava, conhecida por desenvolver novas tecnologias implantadas posteriormente em outras unidades industriais da empresa”, afirma Marcelo Melchior, CEO da Nestlé Brasil.

Entre os benefícios proporcionados pela rede privada 5G à Nestlé estão a simplificação do ambiente físico da fábrica e a capacidade de conectar um grande número de dispositivos à mesma rede. Além disso, de acordo com Rodrigo Dienstmann, presidente da Ericsson para o cone sul da América Latina, essa nova solução vai ajudará a Nestlé a avançar rapidamente em sua jornada de transformação digital.

Segundo o executivo da Ericsson, esse tipo de rede é altamente resistente contra invasões e ataques e dá às operações críticas a capacidade de cumprir os mais rigorosos requisitos de segurança. Também oferece cobertura confiável por toda a instalação industrial, tanto interna quanto externamente, permitindo o controle total sobre os dispositivos conectados sem custo extra por gigabyte de dados.

“Redes 5G oferecem novas oportunidades de inovação e são um componente crucial da Indústria 4.0 ao prover infraestrutura, suporte, estabilidade e latência adequados. Além disso, eleva as fábricas a um nível mais alto de digitalização por meio de sistemas autônomos que vão aumentar a eficiência operacional da Nestlé. Mais ainda, novas aplicações altamente inovadoras poderão ser implementadas.”, explica José Formoso, CEO da Embratel.

Claro e Embratel criaram um hub de inovação, o beOn Claro, para permitir a interação e o diálogo com agentes da comunidade de inovação aberta. “O objetivo é gerar iniciativas de hardware e software que resolvam problemas de forma inovadora e eficiente. Tudo isso usando ativos da Claro, como tecnologia, infraestrutura e talento para acelerar e desenvolver novos negócios que atendem às demandas de vários setores. “Nesse contexto, a parceria com a Nestlé está sendo fundamental para o avanço das aplicações práticas da Indústria 4.0”, destaca, Rodrigo Modesto Duclos, diretor de Inovação e Digital da Claro.

Algo parecido em outros lugares

Em agosto, a Nokia e AT&T instalaram no México uma rede LTE privada da Nokia no porto APM Terminals em Yucatán. Essa é a primeira implantação de redes celulares privadas em um porto marítimo do país. Estão sendo usados no projeto o espectro da AT&T no México e a plataforma Nokia Digital Automation Cloud (DAC).

“Essa é a primeira rede celular privada da unidade de negócios da AT&T México. As demandas de nossos clientes estão sempre evoluindo, e estamos acompanhando-as, por exemplo, com redes privadas, que são cada vez mais importantes, especialmente em ambientes da Indústria 4.0 com muitos dispositivos conectados, onde privacidade, controle de dados e desempenho são cruciais”, afirma Gabriel Fernández, diretor de Inovação e IoT da AT&T México.

Segundo as empresas envolvidas, a rede 4.9G LTE vai fornecer conectividade de banda larga, menor latência e maior previsibilidade, cobrindo uma área de 11,5 hectares, e vai conectar trabalhadores, sensores de IoT, equipamentos e veículos portuários. As aplicações atendidas pela nova rede devem incluir operações remotas e autônomas de guindastes nos píeres e pátios.

A Nokia afirmou que oferece uma plataforma para Indústria 4.0, especificamente para as demandas de missão crítica de indústrias de ativos intensivos, como terminais portuários.

FacebookTwitterLinkedIn