FacebookTwitterLinkedIn

Mercado de plataformas IoT movimentará 1,4 trilhão de dólares em 2027

https://network-king.net/wp-content/uploads/2021/06/IoT663-769x414.jpg

Depois de anos de exagero, expectativa e aceitação constante, a Internet das Coisas (IoT) parece prestes a passar para o uso comercial convencional. O tamanho do mercado global de IoT está projetado para atingir US $ 1463,19 bilhões em 2027, de acordo com a Fortune Business Insights, que o divide em dois grandes segmentos: plataformas e soluções e serviços. O segmento de plataforma também se subdivide, só que em três áreas: gerenciamento de dispositivos, plataforma em nuvem e gerenciamento de rede.

O segmento de gerenciamento de dispositivos detinha uma participação de mercado de cerca de 35,5% em 2020. E a tendência é a de que experimente um crescimento considerável nos próximos anos, graças à necessidade crescente dos usuários em gerenciar vários dispositivos devido ao número cada vez maior de dispositivos conectados presentes nas plataformas IoT. 

Esse nível de aceitação é um resultado e um ímpeto das tecnologias em desenvolvimento que sustentam a IoT.  Por exemplo, outro relatório recente sobre plataformas para Internet das Coisas (IoT), da IoT Analytics, revela como o segmento superou as previsões iniciais de crescimento, atingindo uma taxa de 48% entre 2015 e 2020, e aponta a gestão/ativação de aplicativos das plataformas IoT como o fator indutor para a performance acima da projetada (60%).

“Uma grande parte do crescimento no mercado de plataformas IoT pode ser atribuída ao rápido crescimento dos hyperscalers, mais notavelmente da Microsoft e AWS, que mal faziam parte das iniciativas IoT no início de 2016”, comenta Matthew Wopata, principal analista da IoT Analytics.

Além disso, a entrada desses gigantes no mercado fez surgir novos modelos de precificação e receita das plataformas IoT, como preços por assinatura, preços mais granulares, preços mais complexos e alguns raros preços por resultados. Hoje, o mercado também oferece oportunidades de geração de receita além das estratégias tradicionais, como os fluxos vindos de aplicações, infraestrutura computacional, serviços, conectividade e soluções completas.

Outro ponto que o relatório da IoT Analytics destaca é que grandes companhias multinacionais, há cinco anos ainda tímidas em relação à IoT, passaram por extensos processos de seleção das plataformas e atualmente possuem várias implantações com cerca de 1 milhão de endpoints IoT.

Por último, o estudo aponta que mudanças nas preferências do usuário final nos últimos cinco anos fizeram com que as arquiteturas de aplicativos e hospedagem para plataformas IoT evoluíssem significativamente, deixando de ser monolíticas para serem modulares, explorando tecnologias modernas como contêineres e computação sem servidores.

E, apesar do crescimento surpreendente de 40% nos últimos cinco cinco anos, tudo aponta para uma tendência de alta no mercado de plataformas IoT, com cerca de 30% de taxa composta de crescimento anual nos próximos cinco anos. Embora não seja possível prever examente como será esse ecossistema ao final desse período, pode-se dizer que será, de alguma forma, moldado por questões como suporte para arquiteturas multicloud, qual hyperscaler usar e competição com parceiros.

Além disso, plataformas de habilitação de dispositivos – conectando dispositivos, provedores de nuvem e aplicativos para processamento ideal nas configurações de IoT – serão uma fonte notável de crescimento e valor. A facilidade de implementação dessas plataformas ajuda as empresas de médio porte a aproveitar as oportunidades de IoT, mesmo que essas empresas tenham menos recursos para soluções personalizadas em comparação com as grandes empresas.

Na opinião da McKinsey, a tecnologia de sensor – incorporada em dispositivos IoT – continuará a se tornar mais barata, mais avançada e mais amplamente disponível. Esta disponibilidade e economia possibilitarão novas aplicações de sensores, incluindo monitoramento e detecção em larga escala. Além disso, aplicativos como análises em tempo real e inteligência artificial ajudarão a deslocar atividades, de dispositivos locais para soluções de computação em nuvem e Edge. Além disso, a conectividade móvel aprimorada com o advento do 5G permitirá novos aplicativos para experiências como realidade aumentada e virtual.

Fonte: McKinsey

Pesquisa de mercado da Microsoft  revela que aproximadamente 94% das empresas participantes usarão algum tipo de Internet das Coisas até 2021. Os principais setores de IoT, como varejo, governo, manufatura, saúde e transporte, continuarão a lançar novas soluções e aplicativos de IoT para suas operações diárias. 

Portanto, a Internet das Coisas parece realmente destinada a aprofundar suas raízes em nossas indústrias e vidas. Com mais de 30 bilhões de dispositivos conectados , a IoT mudou principalmente o modelo de interação entre soluções inteligentes, objetos da vida real como eletrodomésticos e dispositivos eletrônicos, ajudando-nos a melhorar nossa vida diária. Como a tecnologia está em sua era de ouro, mais e mais empresas verão a IoT como uma ferramenta benéfica; isso resultará em adoção em massa. 

FacebookTwitterLinkedIn