FacebookTwitterLinkedIn

Mercado de dispositivos IoT LPWAN segue em alta

https://network-king.net/wp-content/uploads/2021/06/iot0063-769x414.jpg

Afinal, qual será o cenário futuro das redes que conectam as “coisas” da Internet das Coisas (IoT)? As quatro principais tecnologias de redes de longa distância – 3GPP, LoRaWAN, Sigfox e IEEE 802.15.4 – foram abordadas por um recente relatório da Berg Insight, que traçou as tendências de mudança e crescimento de cada um desses ecossistemas tecnológicos.

A família 3GPP (3rd Generation Partnership Project) de tecnologias celulares abrange vários padrões de telecomunicação móvel que, segundo o estudo, responde pelo maior ecossistema de redes IoT de ampla cobertura. Estima-se que o número global de assinantes de IoT via tecnologia celular tenha atingido 1,7 bilhão no final de 2020.

Segundo o estudo, o cenário da tecnologia IoT celular está em fase de rápida transformação por conta de avanços na China que estão acelerando a migração das tecnologias 2G para 4G LTE. O padrão 2G ainda representava grande parte das remessas de módulos IoT em 2020. A Europa, por exemplo, permanece em grande medida com redes 2G, mas a maioria das operadoras está planejando abandoná-las até 2025.

Já a especificação LoRaWAN, voltada especificamente para conectar ‘coisas’ movidas à bateria à Internet, está ganhando força, principalmente em aplicações de grande volume na área de medição inteligente de gás e água, assim como em implantações de sensores IoT para rastreamento em cidades, fábricas, edifícios comerciais e residências. De acordo com a Semtech, provedora de semicondutores de alto desempenho e algoritmos avançados para infraestruturas e equipamentos industriais, a base instalada de dispositivos LoRa atingiu 191 milhões em junho de 2021.

O estudo da Berg Insight estima que as remessas anuais de dispositivos LoRa devem crescer a uma taxa composta anual de 32,3% entre 2020 e 2025, chegando a 179,8 milhões de unidades no final do período. Em 2020, a China respondeu por mais de 50% do total de remessas, mas a Europa e a América do Norte devem ter demandas crescentes nos próximos anos, vindas dos setores de consumo e empresarial.

A Sigfox,  empresa francesa cuja tecnologia homônima oferece soluções para redes IoT de banda ultra estreita, tem planos ambiciosos.  A intenção é, com sua solução baseada em software que transfere a complexidade da gestão da rede para a nuvem, garantir conectividade a coisas que nunca se comunicaram anteriormente. A Berg Insight prevê que as remessas de dispositivos Sigfox crescerão a uma taxa composta anual de 49,2%, totalizando 20,7 milhões de unidades em 2025.

O IEEE 802.15.4, padrão de conectividade para redes sem fio privadas de longa distância, deve enfrentar a concorrência dos padrões LPWA que estão surgindo, mas ainda deve crescer moderadamente nos próximos anos, a uma taxa anual composta de 13,2%, somando 25,1 milhões de unidades até 2025. Soluções de medição inteligente devem ser as responsáveis pela maior parte da demanda.

FacebookTwitterLinkedIn