IoT impulsiona rastreamento de cargas e veículos no Brasil

https://network-king.net/wp-content/uploads/2022/10/Shutterstock_738232207-769x414.jpg

Soluções de telemática para frotas de caminhões estão ganhando força no Brasil, principalmente, para abordar questões de segurança, proteção e gestão de motoristas. De acordo com uma análise recente da Frost & Sullivan, transportadoras e seguradoras estão investindo em gestão de riscos e adotando sistemas telemáticas para caminhões que transportam mercadorias perigosas ou de alto valor.

Esse mercado deve atingir 2,59 milhões de unidades em 2027, contra 1,12 milhão em 2021, com uma taxa composta de crescimento anual de 15%. De modo geral, entendem-se por telemática sistemas de comunicação à distância com base em serviços de TI e redes de telecomunicações.

“Mais de 62% do transporte de cargas no Brasil é rodoviário. Isso destaca a importância das frotas de caminhões no país e a necessidade premente do uso da telemática para reduzir o custo total de propriedade. Além disso, embora o mercado de telemática no Brasil ainda se concentre em soluções de rastreamento, outros segmentos como gestão de motoristas e veículos estão crescendo em demanda”, afirma Ingrid Schumann, analista do setor de mobilidade da Frost & Sullivan.

Segundo a executiva, o setor de veículos comerciais no Brasil crescerá rapidamente na próxima década devido à expansão do agronegócio e do comércio eletrônico. Isso deve impactar positivamente o mercado de telemática, com esses novos veículos abrindo oportunidades para provedores de serviços de telemática (TSPs), fabricantes de equipamentos e startups.

Em particular, os TSPs devem investir em soluções que otimizem o consumo de combustível, como gestão de veículos e motoristas. Aqueles que trabalham com entregas de última milha devem investir em soluções, cálculo do tempo estimado de entrega e verificação do status de pedidos. Para esse tipo de soluções, é fundamental investir na integração logística, segundo a pesquisa.

A matriz de transporte brasileira é altamente dependente das rodovias, portanto, digitalizar a atividade é essencial e tem grande poder de impacto. Segundo dados do Plano Nacional de Logística 2035, 66,21% da Tonelada quilômetro útil (TKU) e 83,25% do Valor quilômetro útil (VKU) estavam concentrados no transporte rodoviário, em 2017. Apesar de importante, o processo de digitalização demorou para engatar no segmento e só ganhou mais força a partir da pandemia. Trata-se de um mercado gigantesco, que está sendo modificado pelas soluções digitais das Logtechs. O resultado é benéfico para caminhoneiros e embarcadores, podendo até refletir positivamente na economia.

O Plano Nacional de Logística 2035 ressalta que, além de desempenhar papel considerável no transporte de grandes volumes, o modal rodoviário de cargas é o grande responsável pelo transporte de bens de alto valor agregado para boa parte das demandas. No campo dos dados e da visibilidade, as soluções de Internet das Coisas, Advanced Analytics, Big Data e IA são grandes aliados no monitoramento das cargas e do caminhoneiro. As startups já utilizam essas tecnologias para ampliar a segurança, transparência e previsibilidade do frete. Essas soluções tecnológicas também são apontadas como tendências do setor pelo Plano Nacional de Logística 2035.

Estima-se que esse conjunto de tecnologias aplicadas deve elevar as taxas de aproveitamento veicular em 3,15% no modo rodoviário e em 5% nos demais modos, reduzir custos de manutenção de veículos em 18,9% no modo rodoviário e 30% nos demais modos de transporte, e redução de até 5% do custo no transporte rodoviário por roteirizações mais eficientes, estima o documento.

Onde entra a IoT?

Essencialmente, qualquer coisa que possa ser considerada parte da Internet das Coisas relacionada a veículos pode se enquadrar na telemática. Hoje, a telemática se tornou tão comum em muitas áreas da indústria automotiva que já não pensamos nela quando usamos sistemas de GPS para dirigir, por exemplo, mas com o crescimento da Internet das Coisas, a telemática ganhou uma grande aliada.

No caso específico da gestão de grandes frotas, a IoT pode, por exemplo, ajudar a prever problemas de manutenção e elevar a eficiência dos veículos. Gerentes de frota também podem usar soluções de IoT para acompanhar os comportamentos dos motoristas e garantir a segurança das equipes ao volante – essa questão, em particular, está intimamente relacionada ao custo das apólices de seguros.

A atratividade das soluções envolvendo telemática e Internet das Coisas é destacada em uma premiação mundial realizada pela terceira vez em 2022. Neste ano, os projetos concorrentes vieram de 24 países, e os vencedores deste ano foram anunciados em 9 de outubro, em Dubai, em 12 setores, alguns relacionados à gestão de frotas:

  • A Transcorp International, fornecedora de soluções de IoT para cadeias frias nos Emirados Árabes Unidos, em especial, entrega de última, é escolhida por empresas globais, como Amazon e Carrefour. A empresa alcançou uma taxa média de sucesso de 98,2% para entregas garantidas no dia seguinte, enquanto a taxa padrão do setor é de 70%. Além disso, não registrou acidentes de trânsito nas estradas nos últimos 5 meses desde a implementação da solução que conta com recursos de rastreamento de comportamento dos motoristas. A Transcorp faz 15 mil entregas pontuais por dia.

  • A SuKarne, maior exportadora de carne bovina, suína e de frango do México, possui uma frota de 2.800 veículos, buscava uma solução evitar roubo de cargas e caminhões. Com a solução de telemática, poupou mais de um milhão de dólares ao detectar tentativas de roubo e agir imediatamente, aumentando consideravelmente as chances de recuperação de veículos e produtos.

  • Líder no setor madeireiro possui uma frota de mais de dois mil veículos e buscava um sistema eficiente para monitoramento de consumo de combustível. Hoje, a solução de telemática tem ajudado a prevenir roubo de combustível, pois antes os motoristas podiam superestimar os valores de consumo pela metade.

  • A Nord Tranzit é especializada no transporte de mercadorias no Ártico e buscava maneiras de melhorar a segurança do transporte em áreas remotas onde as condições meteorológicas são extremas e a cobertura GSM é baixa. Em caso de emergência, os motoristas chegam arriscar a vida. A solução de telemática permite aos motoristas enviar pedidos de ajuda e também permite monitorar por vídeo se os motoristas estão violando as regras de segurança.

  • A Thailand Post Distribution Co presta serviços de transporte e distribuição e buscava elevar desempenho das frotas. O novo sistema de telemática está ajudando a lidar com o uso não autorizado de veículos e reduzir os casos de roubo. Com o monitoramento de como os motoristas conduzem os veículos, também está sendo possível reduzir o consumo de combustível.
FacebookTwitterLinkedIn