Desafios para implantação de projetos de IoT

https://network-king.net/wp-content/uploads/2021/11/shutterstock_1341095657-769x414.jpg

É inegável o potencial econômico da Internet das Coisas (IoT), cujo valor deve alcançar uma cifra entre US$ 5,5 trilhões e US$ 12,6 trilhões até 2030. No entanto, três entre quatro empresas ainda enfrentam desafios de vários tipos para implantar projetos de IoT, criando barreiras justamente para concretizar o potencial da tecnologia. Foi o que revelou o estudo “Industrial IoT in the time of Covid-19“, do Inmarsat, baseado em dados de 450 entrevistas com integrantes dos setores de agricultura, serviços públicos de energia, mineração, petróleo e gás, transporte e logística.  

A pesquisa mostrou que a adoção das tecnologias de IoT disparou nos últimos anos, com 77% dos entrevistados já tendo implementado menos um projeto dessa classe. Além disso, dos 23% restantes que ainda não adotaram a IoT, todos estão atualmente testando algum projeto nessa linha ou planejando fazer isso nos próximos 18 meses. Os motores que impulsionam essa tendência são diversos, incluindo desde eficiência de custo, sustentabilidade ambiental e melhor visibilidade das cadeias de suprimentos até níveis maiores de automação e melhores recursos para tomada de decisão. 

Fonte: Inmarsat

No entanto, a conectividade continua desafiando os projetos de IoT de 75% dos entrevistados. Quando questionados sobre quais qualidades mais buscam para conectividade da IoT, confiabilidade surge como principal requisito, seguida por segurança em segundo lugar e cobertura da rede em terceiro. Largura de banda e custo não se mostram como prioridades, sugerindo que muitos dos projetos de IoT, que transferem pequenos pacotes de dados, podem abrir mão desse recurso em níveis mais avançados. 

Além disso, 54% se sentem incapazes de usar os dados provenientes das soluções de IoT de forma eficaz por questões de segurança e/ou privacidade.  Atualmente, 80% dos entrevistados  compartilham dados apenas dentro de suas organizações.  

Fonte: Inmarsat

O estudo destaca que, geralmente, ainda há muito a fazer para melhorar as estratégias de conectividade para IoT, visto que apenas 37% das organizações estão usando alguma forma de backup de conectividade em áreas remotas, longe dos meios terrestres de comunicação. Apenas 33% dos entrevistados contam com uma opção reserva de conectividade, ou seja, em caso de queda da conexão, 67% afirmaram que suas operações ficaram paralisadas. Isso sem citar que aplicações que usam veículos autônomos ou drones, por exemplo, poderiam gerar cenários perigosos em situações de falha de conectividade. 

Mais desafios

Apesar do alto nível de adoção da IoT, em geral, a falta de competências continua preocupando e é apontada como um importante barreira para a implantação de projetos de IoT. Entre o conjunto de habilidades exigidas, cibersegurança é a primeira delas, seguida de perto por ciência de dados e análise, suporte técnico e conectividade. Outras competências mencionadas são o desenvolvimento estratégico e a gestão. 

Fonte: Inmarsat

Apesar da existência de desafios de cibersegurança para as soluções de IoT, eles estão cada vez mais compreendidos, e medidas estão sendo tomadas para buscar remediar as vulnerabilidades. Uma evidência disso é o fato de quase a metade dos entrevistados ter afirmado que conta com políticas internas para segurança da IoT. Grande parte também já adotou políticas externas para fornecedores e parceiros, diferentemente do que foi relatado na edição de 2018 da pesquisa. Os setores de transporte, logística e mineração são os mais confiantes em suas abordagens para lidar com os desafios da segurança da IoT, enquanto o segmento de petróleo e gás afirmou ter políticas menos robustas. 

A boa notícia é que adoção mais ampla da IoT já está fazendo diferença em termos de economia de custos operacionais para muitas organizações, com uma redução de 15% dos custos esperada no final dos próximos 12 meses e de até 30% em 2026. Mais otimistas nesse quesito são os entrevistados do setor mineração, que esperam chegar até a aproximadamente 33% em cinco anos. 

A pesquisa também oferece um meio de medir a prontidão para Internet das Coisas de uma organização em comparação com os participantes do estudo, usando uma ferramenta gratuita de maturidade de IoT. Para usar a ferramenta IoT Maturity, basta ir até inmarsat.com/iot2021

FacebookTwitterLinkedIn