Dados de IoT não estão sendo explorados como deveriam

https://network-king.net/wp-content/uploads/2022/02/shutterstock_1915212802-1-769x414.jpg

Uma pequena parcela de empresas está colhendo plenamente os benefícios proporcionados por dados coletados de soluções de Internet das Coisas (IoT). A maioria apenas compartilha os dados internamente por preocupações associadas à cibersegurança e privacidade que as impedem de dividi-los com uma cadeia mais ampla. Atualmente, apenas 20% tornam os dados IoT não confidenciais disponíveis para acesso e uso a qualquer pessoa dentro de suas organizações e a parceiros.

Essa perspectiva foi resultado de um estudo realizado pela Inmarsat, empresa de comunicação por satélite, com 450 organizações dos setores de agricultura, energia, mineração, petróleo e gás, transporte e logística. Segundo o estudo, a coleta de dados pouco frequente e a falta de uma estratégia deixam muitas delas aquém de explorar o valor total que os dados de IoT podem gerar. Uma abordagem mais estratégica, ambiciosa e aberta para coleta e compartilhamento de dados não confidenciais poderia gerar benefícios substanciais para empresas envolvidas com projetos IoT.

Um grande grupo dos entrevistados (86%) admite não usar os dados coletados de sistemas IoT da forma mais eficaz possível. As barreiras mais prevalentes citadas como barreira por mais da metade (54%) são segurança e privacidade de dados, seguidas por atrasos entre a coleta e a disponibilidade dos dados (46%) e a falta de uma estratégia de dados IoT (33%). Em relação à segunda barreira, os entrevistados priorizam claramente a transferência de dados em tempo real (dentro de 30 segundos).

Além disso, um número significativo de os entrevistados relatou que ainda precisam de profissionais qualificados para impulsionar o desenvolvimento estratégico e gerenciamento dos projetos IoT. Sem ter um conjunto de habilidade adequado, seguirão com dificuldades para fazer o melhor uso dos dados coletados e se beneficiar do papel transformador que as soluções IoT podem desempenhar ao longo das cadeias de suprimentos.

A coleta e o compartilhamento dos dados feitos de modo eficiente dariam às organizações e parceiros em seus ecossistemas melhores condições para tomar decisões por toda a cadeia de valor e assim otimizar as operações e reduzir riscos. Também seriam evitados desperdícios, queda de produtividade, além de ser possível oferecer melhores serviços aos clientes e atingir metas de sustentabilidade com mais rapidez.

Fonte: Inmarsat

Outro motivo para que estratégias de compartilhamento de dados IoT não terem avançado como deveriam foi o fato de muitas organizações terem acelerado a adoção de soluções IoT durante a pandemia de Covid-19.

Também há diferenças notáveis em como as empresas estão usando dados IoT com base na região em que operam e no tamanho das operações. Enquanto apenas 23% das empresas norte-americanas enfrentam dificuldades lutam para usar dados IoT de forma eficaz devido à falta de uma estratégia estabelecida, essa parcela aumenta para 54% na América Latina. Da mesma forma, enquanto 20% das grandes organizações (mais de 5 mil funcionários) lutam com a falta de estratégias para dados IoT, esse número dobra para 40% das empresas menores (com menos de 500 funcionários).

No entanto, isso deve mudar visto que uma proporção maior de organizações (38%) está passando a compartilhar dados ao longo de sua cadeia de suprimentos mais ampla e apenas 20% pensa limitar os dados IoT a departamentos específicos. Essa transição está ocorrendo à medida que mais empresas entendem que o compartilhamento responsável e seguro é um passo necessário para colher o máximo valor que os dados IoT são capazes de gerar.

“Atualmente, quatro em cada cinco empresas compartilham os dados criados a partir de seus projetos IoT apenas dentro de suas organizações devido a preocupações com segurança ou privacidade, limitando sua capacidade de extrair valor comercial real desses dados. No entanto, é encorajador ver que as empresas pretendem mudar essa situação, à medida que se tornam cada vez mais abertas ao compartilhamento de dados IoT não confidenciais com parceiros”, destaca Mike Carter, presidente da Inmarsat.

A pesquisa também revelou que ter uma estratégia formal para dados IoT é fundamental para que as informações sejam coletadas, compartilhadas e analisadas entre as partes envolvidas de modo eficaz. Organizações com uma estratégia fundamentada são muito mais propensas a fazer coletas de dados em tempo real em seus projetos IoT (48% em comparação com apenas 16% entre as organizações sem estratégias para IoT).

FacebookTwitterLinkedIn