Cresce o mercado de gerenciamento de conectividade IoT

https://network-king.net/wp-content/uploads/2022/02/mingwei-lim-QxGSSfatjRs-unsplash-1-769x414.jpg

O mercado de gerenciamento de conectividade IoT valerá mais de US$ 31 bilhões até 2026, projeta a ABI Research. No final de 2021, o mercado global para a venda de transporte de dados e o gerenciamento dessa conectividade para fabricantes de equipamentos originais (OEMs), empresas e municípios era de US$ 12,14 bilhões.

À medida que a adoção da Internet das Coisas (IoT) continua a crescer,  orquestrar o funcionamento de vários dispositivos em uma variedade de operadoras sem fio e tecnologias de conectividade pode se tornar uma tarefa assustadora. As plataformas de  gerenciamento de conectividade IoT (CMP) ajudam as empresas a monitorar e controlar as conexões de rede utilizadas em uma infraestrutura de dispositivos conectados. 

As redes de Internet das Coisas (IoT) envolvem centenas ou milhares de conexões exclusivas entre objetos incorporados e servidores dedicados, permitindo que eles compartilhem observações contínuas, gerem dados valiosos e acionem ações em toda a arquitetura IoT. Os produtos de gerenciamento de conectividade IoT fornecem uma visão centralizada dessas redes especificadas, seus vários planos de assinatura e o fluxo de dados entre redes e ativos distribuídos. São usados principalmente por profissionais de TI e outros envolvidos na configuração, manutenção e otimização da rede IoT. 

Portanto, para se qualificar na categoria IoT Connectivity Management, um produto deve:

  • Apresentar informações em tempo real sobre redes relacionadas à IoT e conexões de dispositivos;
  • Coletar e analisar dados de streaming relacionados a objetos conectados e redes correspondentes;
  • Acompanhar os planos de dados da rede IoT, incluindo limites de dados e limites de prazo;
  • Fornecer ferramentas para ajustar planos e fluxos de dados para otimizar o uso e reduzir custos.

O estudo da ABI Research identificou 62 empresas fornecedoras de CMPs. Entre os principais players estão Huawei, Cisco, Emnify, Avnet, ZTE Corporation, Aeris Communications, Comarch, KORE Wireless Group, HPE, Vodafone e Ericsson.

Aqui estão os cinco principais fatores críticos a serem considerados ao selecionar uma plataforma de gerenciamento de conectividade:

  1. É amigável ao usuário?
    Uma plataforma de conectividade IoT deve reduzir a complexidade, não aumentá-la. O hub de conectividade certo facilita a otimização de suas conexões de dispositivos IoT e automatiza os processos diários de conectividade para que sua equipe possa continuar inovando e expandindo seus negócios. Procure um design simples e fácil de usar que facilite o monitoramento e o gerenciamento da conectividade IoT. Certifique-se de que sua equipe participe de demonstrações de fornecedores e possa testar pessoalmente os recursos e funções para garantir que eles atendam às suas necessidades.


  2. Pode se adaptar às minhas necessidades em mudança?
    As demandas de conectividade de IoT estão mudando rapidamente, e mais mudanças são certas. Para acompanhar as inovações, você precisará de um gerenciamento de conectividade que possa se adaptar às mudanças tecnológicas e aos requisitos de negócios. Procure uma plataforma de gerenciamento de IoT construída em uma arquitetura modular, permitindo que você adicione novos serviços de conectividade que atendam melhor às necessidades dos clientes ou leve novos produtos baseados em IoT ao mercado rapidamente.


  3. Irá Integrar?
    Após criada a solução de IoT de ponta você precisará de uma plataforma de gerenciamento de conectividade que se integre perfeitamente aos seus sistemas existentes. Procure uma plataforma com uma interface de programa de aplicativo (API) aberta e assegure-se de que o sistema ofereça suporte à habilitação de aplicativo agnóstico, facilitando a comunicação rápida com suas tecnologias – sem a necessidade de modificar o código-fonte.


  4. Quantas operadoras suporta?
    Possivelmente, o benefício mais valioso de um sistema de gerenciamento de conectividade centralizado e único é a capacidade de provisionar várias operadoras de rede em várias regiões. Algumas plataformas funcionam apenas com um número limitado de operadoras, ou mesmo apenas um único provedor e seus parceiros. Isso limita suas opções de conectividade e bloqueia você em uma lista finita de planos de tarifas.

    Ao investir em uma plataforma de gerenciamento de conectividade, certifique-se de que ela se integre a quantas operadoras de rede você precisar de cobertura. Também é importante perguntar sobre os planos do provedor de plataforma para adicionar mais provedores sem fio ao longo do tempo e garantir que seus planos de expansão estejam alinhados com suas necessidades de longo prazo — evitando o desafio de superar a plataforma e mudar para outra. Um sistema de gerenciamento de conectividade ideal abrirá possibilidades com um grande número de parcerias de operadoras geograficamente diversas, garantindo que, independentemente de onde você expandir sua solução de IoT no futuro, você terá uma cobertura perfeita.


  5. Está pronto para tecnologias emergentes de IoT?
    Manter-se à frente do ritmo acelerado das mudanças requer uma solução de gerenciamento de conectividade que possa oferecer suporte a opções de tecnologia emergentes. eSIM, uma opção de conectividade avançada emergente, é um bom exemplo. Sua capacidade de provisionar remotamente perfis de operadora para os seus dispositivos provavelmente revolucionará sua implantação de IoT no futuro, proporcionando maior confiabilidade de cobertura, TCO reduzido e isenção de tarifas de roaming exorbitantes. Encontre uma plataforma de conectividade que permitirá que você aproveite o eSIM e outras tecnologias emergentes futuras.

O segredo para o sucesso da IoT em escala é eliminar a complexidade. Ao selecionar a plataforma de gerenciamento de conectividade correta, sua organização pode gerenciar melhor os dispositivos, tecnologias de celular e taxas para uma implantação ideal de IoT.

FacebookTwitterLinkedIn