Combinação LoRa-satélite vai ampliar adoção de IoT na Europa

https://network-king.net/wp-content/uploads/2022/07/Captura-de-Tela-2022-07-11-às-16.21.01-769x414.png

Conectividade entre dispositivos da Internet das Coisas (IoT) pode ser implementada de várias maneiras, divididas em duas categorias principais – com ou sem fios. A escolha entre ambas depende de vários fatores, frequência e volume dos dados que vão trafegar entre a rede IoT, cobertura a ser alcançada, fontes de energia disponíveis e condições de propagação de sinais, entre outros.

Sistemas cabeados, por exemplo, podem ser demorados e custosos para implantar. Por outro lado, soluções sem fio, como as baseadas em Wi-Fi, são adequados para acessos de curto alcance, deixando a desejar quando as distâncias são mais longas.  Já os sistemas celulares como NB-IoT e LTE-M, que oferecem cobertura mais amplas, dependem de contratos com operadoras.

Uma solução apresentada recentemente pela EchoStar Mobile promete reunir o melhor de dois mundos em termos de conectividade para redes IoT: LoRaWAN e satélites. Trata-se de programa de adoção antecipada (early adopter) para uma serviço voltado para aplicações IoT nos setores de transporte e logística, agricultura, petróleo e gás e serviços públicos, com cobertura para o território europeu, que combinará tecnologias com e sem fio.

“A conectividade pelo padrão LoRa é a base de 45% das redes globais de IoT de hoje. É perfeita para conectar ‘coisas’ com baixo consumo de energia, mas sua dependência de conectividade terrestre restringe sua aplicação. Ao oferecer conectividade via satélite, a solução da EchoStar Mobile será o primeiro serviço LoRa bidirecional em tempo real com recursos remotos e móveis que atenderá milhões de dispositivos na Europa”, explica Telemaco Melia, vice-presidente e gerente geral da EchoStar Mobile.

Como um protocolo de redes sem fio de baixa potência, de código aberto e padronizado, o LoRaWAN (Long Range Wide Area Network) é reconhecido como sendo ideal para conectar dispositivos alimentados por bateria. Comparado com outras tecnologias de conectividade terrestre,como fibra óptica, o padrão LoRaWAN oferece implantação rápida em áreas amplas, reduzindo custos de capital e operacionais. No entanto, menos de 20% da superfície da Terra tem conectividade terrestre, ressalta a EchoStar Mobile. É improvável que serviços de conectividade terrestre, como os baseados no protocolo LoRaWAN, se expanda significativamente além do atual nível de implantação. É justamente neste ponto que entra a solução da EchoStar Mobile, que combina LoRaWAN terrestre de baixo custo com sistemas de satélite com ampla cobertura geográfica.

São oferecidos atualmente vários serviços de satélite, porém quase todos usam tecnologia proprietária, o que gera complexidades e custos extras para integrar um grupo de satélites à solução IoT.  Já o EchoStar Mobile LoRa Transceiver, além de se conectar à rede de satélites, opera com as redes terrestres LoRa de banda ISM. Fundamentalmente, o recurso de modo dual permite aos desenvolvedores de soluções de IoT usar uma única tecnologia em seu design, tanto para modalidade terrestre quanto de satélite, sem ter de realizar uma integração custosa com o hardware do satélite.

Como exemplo, a EchoStar Mobile cita uma solução de rastreamento de veículos que utiliza uma rede terrestre quando o veículo está localizado em um estacionamento subterrâneo, porém quando sai por uma rota de entrega remota, sem serviço terrestre disponível, e a solução alterna para a rede de satélites. Isso garante a transferência confiável de dados entre os dispositivos LoRa e os centros de controle e processamento de informações.

Área de cobertura

A solução da EchoStar Mobile oferece cobertura LoRa na Europa, Reino Unido e Escandinávia para aplicação IoT em massa, garantindo acesso compatível com LoRa aos dispositivos IoT dos clientes por meio do satélite EchoStar XXI da empresa. Sensores de IoT, como os que medem temperatura ou umidade, enviam dados para um módulo EchoStar Mobile LoRa® que, por sua vez, usa frequências de banda S licenciadas para enviar os dados para o satélite da EchoStar Mobile. De lá, são enviados para a Internet por meio de uma estação terrestre de gateway para satélite e uma infraestrutura de rede compatível com LoRa.

Por usar bandas licenciadas, o satélite EchoStar XXI pode receber sinais em condições em que bandas não licenciadas teriam dificuldade para realizar o trabalho. Além disso, melhorias no padrão LoRa alcançar taxas de transferência de dados mais elevadas, aumentar a capacidade das rede e mais robustez frente a interferências. Já a banda S cobre frequências entre 2 GHz e 4 GHz, ideal para comunicação móvel, entre elas a via satélite. Ao contrário de algumas outras bandas, como as bandas Ku e Ka, a banda S oferece resistência significativa ao desvanecimento dos sinais causados por chuva, neve e gelo. Isso significa que pode manter a disponibilidade do acesso durante mudanças nas condições atmosféricas, frequentemente experimentadas na Europa.

O programa de adoção antecipada do EchoStar Mobile LoRa será conduzido ao longo de 2022, com a disponibilidade comercial prevista para o final do ano. Para obter informações sobre a participação no programa, clique aqui.

FacebookTwitterLinkedIn