FacebookTwitterLinkedIn

Arm quer acelerar desenvolvimento da IoT

https://network-king.net/wp-content/uploads/2021/10/IoT-769x414.jpeg

A Arm, acostumada a desenvolver designs de arquitetura de processadores e os licenciar para que outras empresas desenvolvam seus próprios chips, anunciou recentemente o Arm Total Solutions for IoT, com o objetivo de simplificar o desenvolvimento de soluções IoT (Internet das Coisas) e assim acelerar o lançamento de produtos para desenvolvedores, OEMs e provedores de serviços em todos os estágios da cadeia de valor da IoT.

A fundação dos negócios da Arm se baseia em portabilidade e compatibilidade, ou seja, especificar em suas arquiteturas um conjunto de regras que determina como o hardware deve funcionar quando uma instrução particular for executada. Essa é a forma de garantir que, quando um software for escrito em conformidade com essas especificações, o processador ou chipset sempre funcionará da mesma maneira. Esta é a base geral da promessa da Arm.

Honrando esse conceito fundamental da empresa, a Arm desenvolveu o novo Arm Total Solutions for IoT para acelerar o desenvolvimento de soluções IoT. O núcleo da solução é o Arm Corstone, subsistema que reúne tudo o que é necessário para iniciar o design de SoCs (System on Chip) com mais rapidez e segurança.

Outro elemento fundamental do Arm Total Solutions for IoT, o serviço na nuvem Arm Virtual Hardware Targets , é uma camada de abstração baseada na nuvem. É como se os desenvolvedores tivessem acesso a uma versão virtual de um chip antes que se concretizasse em um hardware físico. Dessa forma, a plataforma permite o desenvolvimento de software para IoT sem importar com que processador real com ele vai trabalhar. Aplica também práticas modernas de desenvolvimento, como Agile, DevOps e integração/implantação contínuas (CI/CD), para aplicações IoT e de inteligência artificial para endpoints e permite testar rapidamente configurações complexas de vários dispositivos de modo virtual, simulando, por exemplo, dependências de memória e periféricos.

Segundo a Arm, usando o Arm Total Solutions for IoT, é possível reduzir os ciclos de design de produtos e suas implantações em até dois anos. “Com essa mudança radical na forma como os sistemas são projetados, a Arm pretende impulsionar uma nova economia de IoT que rivaliza com o modo, a velocidade e o porte da economia de aplicativos para smartphones”, afirma Mohamed Awad, vice-presidente de IoT e Soluções Integradas da Arm.

Fonte: Arm

O Arm Virtual Hardware está disponível no AWS Marketplace. Segundo a empresa, parceiros já estão usando a solução para inovar com mais rapidez e reduzir o tempo de colocação de produtos no mercado.

Promover a padronização

Para permitir que membros da indústria ofereçam seus software e serviços para uma ampla variedade de plataformas, a Arm também está investindo no Projeto Centauri. A ideia é promover a padronização ao fornecer um conjunto de padrões para dispositivos e plataformas bem como implementações de referência para inicialização de projetos envolvendo inicialização (boot) de dispositivos, segurança e integração com a nuvem.

As APIs do Projeto Centauri são compatíveis com PSA Certified, esquema de certificação de segurança para hardware, software e dispositivos de Internet das Coisas (IoT), e Open-CMSIS-CDI, especificação que minimiza os esforços necessários para habilitar soluções de nuvem e sistemas operacionais em tempo real.

Fonte: Arm

Até hoje, parceiros da Arm já venderam mais de 70 bilhões de dispositivos baseados na Arm Cortex-M,  família de processadores otimizada para microcontroladores de baixo custo e baixo consumo de energia,  ideal para aplicações IoT, dispositivos industriais e de consumo. A previsão é que chips para IoT apresentem uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de cerca de 15% até 2026. O objetivo da Arm é garantir que seu ecossistema IoT esteja na vanguarda da inovação, tornando suas arquiteturas cada vez mais acessíveis. E, segundo a empresa, o Arm Total Solutions for IoT é justamente um dos meios de fazer isso.

FacebookTwitterLinkedIn