FacebookTwitterLinkedIn

5 recomendações para um monitoramento de TI bem-sucedido

https://network-king.net/wp-content/uploads/2021/07/monitoramento6204-769x414.jpg

Cada vez mais o monitoramento da infraestrutura de TI é encarado como um processo de negócios. Seu objetivo? Coletar e analisar dados da infraestrutura de TI e aproveitar esses dados para melhorar os resultados de negócios e impulsionar a criação de valor para a organização.

Mas aqueles que precisam monitorar uma grande infraestrutura de TI ou de rede enfrentam vários desafios.

Aqui estão algumas recomendações práticas para ajudá-lo a otimizar e maximizar o monitoramento, economizar tempo e dinheiro e, ao mesmo tempo, fornecer melhores serviços de TI para sua empresa.

1 – Defina pontos de medição, limites e alertas

Antes de planejar sua arquitetura de monitoramento, você precisa entender seu ambiente. Principalmente, saber quantos pontos de medição você tem.

Para tudo o que você deseja monitorar, haverá vários pontos de medição. Se quiser monitorar os próprios dispositivos, você precisará monitorar coisas como temperatura do dispositivo, velocidade do ventilador, armazenamento restante, potência da CPU ou outras métricas que possam ser relevantes.

Obviamente, quanto mais pontos de medição você tiver, mais poder de processamento e planejamento serão necessários para o seu conceito de monitoramento.

2 – Segmente a rede

Em redes grandes, não é viável simplesmente ter potencialmente milhares (ou mesmo dezenas de milhares) de mecanismos de pesquisa em toda a rede enviando dados de volta para um servidor de monitoramento central. Em vez disso, você precisará segmentar logicamente sua infraestrutura.

3 – Crie uma visão geral centralizada

Independentemente de como você configurar seu monitoramento, provavelmente terá vários servidores de monitoramento coletando dados de diferentes partes de sua infraestrutura. Agora você deve colocar tudo junto para que possa ajudá-lo a gerenciar toda a sua TI, tudo a partir de um ponto central. A maneira de fazer isso é criar dashboards com uma visão geral da infraestrutura, para que você possa dizer imediatamente se há problemas.

Um dashboard é simplesmente uma forma de visualizar informações. Pode ser configurado para fornecer dados operacionais, dar ideias de negócios ou destacar eventos anômalos que podem representar ameaças à segurança.

Ter uma visão única da infraestrutura de TI é vital, pois as equipes de TI trabalham para gerenciar muitas peças móveis e mutáveis. Mudar para uma ferramenta os ajuda a avaliar e relatar melhor o desempenho de TI.

4 – Defina equipes de resposta e configurar notificações

Para gerenciar uma grande infraestrutura de TI, o departamento de TI é dividido geralmente em áreas de competências, portanto, você tem equipes separadas para diferentes funções. Por exemplo: uma equipe pode ser responsável pela vitrine online, outra equipe pelos serviços de e-mail e assim por diante. É claro que essas equipes também seriam responsáveis ​​pelo monitoramento de suas respectivas áreas.

Para o seu conceito de monitoramento, defina os grupos de usuários de acordo com as áreas em que eles se concentram. Em seguida, defina notificações de falhas nessas áreas para as equipes específicas que precisem agir prontamente sempre que um problema for detectado.

5 – Se for o caso, pense além da TI

Com o surgimento de novos casos de negócios e processos de produção, as redes de OT estão se tornando maiores e cada vez mais complexas. Na verdade, em muitas grandes empresas em vários setores, o número de endereços IP em OT já é maior do que em TI. É crucial, então, que se monitore OT.  A necessidade de uma rede OT confiável está crescendo rapidamente.

Obviamente, uma rede industrial tem requisitos de monitoramento diferentes para uma rede de TI regular. As equipes de OT querem saber sobre o status de seus sistemas de automação de processos, como DCS (Sistemas de Controle Distribuídos), sistemas híbridos, PLCs (Controladores Lógicos Programáveis), sistemas MES, como historiadores, LIMS (Sistemas de Gerenciamento de Inventário de Laboratório), sistemas de gerenciamento de lote, e outras aplicações específicas (por exemplo, com base na comunicação OPC). Eles também precisam monitorar a redundância da rede e os protocolos industriais, como o Profibus.

TI e OT eram, até recentemente, infraestruturas muito raramente interconectadas. Mas agora, a digitalização está gerando convergência. Os dados – essenciais para o gerenciamento eficaz dos processos de produção – precisam ser coletados, analisados ​​e utilizados em todos os níveis, desde o chão de fábrica até a própria instalação. Isso significa que os dispositivos que antes eram isolados – como os controladores lógicos programáveis, por exemplo – agora precisam se conectar aos sistemas de coleta de dados.

O desafio de monitorar essa nova infraestrutura convergente é trazer várias métricas em uma única visualização. Essencialmente, uma visão geral dos elementos de TI tradicionais, dos elementos de OT, como os dispositivos de gateway, e de outras métricas de dispositivos, incluindo os dispositivos IoT.

A IoT continua a transformar os negócios à medida que a tecnologia em desenvolvimento e os dispositivos interconectados geram análises em tempo real. Isso dá às organizações a chance de melhorar a experiência do cliente e agilizar as demandas logísticas.

De acordo com as previsões de mercado global da Machina Research , até o final de 2024 quase 25 bilhões de conexões serão estabelecidas, o que significa que mais dados serão gerados a partir de dispositivos monitorados, equipamentos e do ambiente geral em que existem.

Conclusão

É uma verdade há muito aceita, embora não seja totalmente confortável, que a maioria das organizações não percebe a importância da TI até que ela falhe. Portanto, a maioria dos trabalhadores concordará que monitorar a infraestrutura é uma boa ideia. É como a medicina preventiva. Acompanhar e comparar o tempo de atividade, largura de banda, uso da CPU, capacidade e outras métricas por um longo período de tempo fornece uma linha de base a partir da qual os alertas podem ser definidos para informar a TI quando os sistemas estão dando errado. No final das contas, interrupções e travamentos são muito caros, mas quando a TI pode identificá-los antes que aconteçam, os principais problemas se tornam pequenos e fáceis de resolver.

Uma ferramenta de monitoramento independente do fornecedor usada de maneira apropriada pode ajudar a prevenir uma série de dores de cabeça comuns de TI, problemas que são fáceis de evitar, mas difíceis de consertar. Aqui está uma amostra dos problemas que a TI pode prevenir, economizando tempo e produtividade, com a ajuda de um segundo par de olhos.

As complexidades que acompanham o gerenciamento de um vasto ecossistema digital podem parecer assustadoras, mas não precisam ser. Na verdade, depois que os administradores de sistema controlam os dados de que precisam, eles podem assumir o controle e usar os dados de forma proativa para tomar decisões informadas rapidamente.

FacebookTwitterLinkedIn